Cidade do Panamá: o que fazer em quatro dias

País pode ser um destino muito além da escala aérea; confira uma sugestão de roteiro de quatro dias na Cidade do Panamá

01 novembro de 2021

Localizado na América Central, o Panamá é um país que ficou mais conhecido por ser uma escala aérea bem comum para quem está viajando com destino a América do Norte. Porém, a realidade é que ele pode ser muito mais que isso. O país é repleto de belezas naturais, tem praias de águas cristalinas e atrações bem interessantes que podem tornar, principalmente a Cidade do Panamá, um destino além da conexão.

Minha passagem pelo Panamá foi rápida, mas ideal para conhecer os pontos turísticos da Cidade do Panamá, além de um dia inteiro dedicado ao Arquipélago de San Blas. Confira um roteiro de quatro dias por lá:

DIA 1: CINTA COSTERA, CAUSEWAY E CASCO VIEJO

Comece o dia passeando pela Cinta Costera, a orla da Cidade do Panamá. Ela possui um extenso calçadão com espaço para caminhadas e bicicletas, além de áreas verdes perfeitas para um passeio ao ar livre. Fica coladinha na Avenida Balboa, uma das mais importantes da cidade.

Sugiro um passeio de bike pelo ‘bolsão’ da Cinta Costera; para isso, alugamos as bicicletas por 5 dólares próximo ao Mercado de Mariscos. O trajeto tem três quilômetros e fizemos ida e volta. No vídeo que fiz para o canal do YouTube é possível ver melhor, mas a área das bikes é separada dos carros. Vale descansar em uma das “paradas” e aproveitar para tirar fotos e curtir a vista linda da cidade.

Cinta Costera da Cidade do Panamá

Se você preferir seguir adiante em vez de voltar, chegará na Calçada de Amador, também chamada de Causeway. O local, na verdade, foi construído em 1923 com terra retirada do canal do Panamá. A orla tem 7 km de extensão e oferece diversas opções de lazer para turistas e locais, como restaurantes, bares e lojas. Ali também fica o Biomuseo, ou Museu da Biodiversidade, que conta a história do istmo do Panamá e o seu impacto na biodiversidade do planeta.

No período da tarde, conheça o Casco Viejo. O centro histórico da cidade é formado por ruelas estreitas e casarões centenários. A região começou a se desenvolver por volta do século 17, então é possível visitar museus e construções antigas que ainda permanecem no local. Pra mim, essa região é o ponto alto da Cidade do Panamá; nosso roteiro previa somente uma tarde por lá, mas acabamos voltando porque gostamos bastante!

Casco Viejo na Cidade do Panamá
Casco Viejo na Cidade do Panamá

No Caso Viejo, aproveite para garantir os souvenirs que for levar para casa. São dezenas de lojinhas vendendo lembranças do Panamá e, pechinchando, encontra-se preços ótimos. Outra compra certeira é a do clássico chapéu Panamá. Na verdade, o autêntico chapéu é fabricado no Equador, mas leva esse nome porque o presidente dos Estados Unidos, Theodore Roosevelt, usou-o durante uma visita à construção do canal do Panamá em 1906.

São diversos modelos e preços para o chapéu, desde 10 dólares até inimagináveis dois mil! A loja El Palacio Del Sombrero é especialista em chapéus e compramos um lá de ótima qualidade e preço justo.

LEIA TAMBÉM: O que falta para o turismo no Panamá progredir?

DIA 2: CANAL DO PANAMÁ E ALLBROOK MALL

O segundo dia começa no Canal do Panamá, mas pode ser que termine por lá também. Explico: tivemos uma visita um tanto quanto movimentada. Fomos de manhã e avisaram que não teria navio. Voltamos logo após o almoço e nos disseram que passaria às 14h30. Quando já estávamos lá dentro, faltando poucos minutos, avisaram que passaria às 16h15. Em resumo, ficamos lá esperando e só foi passar depois de 17h…

Fui bem sucinta na explicação, porque na realidade a dor de cabeça foi muito maior. Acho importante compartilhar por aqui, porque pesquisamos e nos organizamos, mas o atraso foi uma falha de comunicação da administração do local, que passa horários para todos os turistas que estão por lá, quando na verdade isso depende das embarcações e pode mudar a todo instante – o que não foi informado em nenhum momento.

Passado meu relato, é claro que recomendo a visita ao canal. É a atração turística mais famosa do país e não conhecer está simplesmente fora de cogitação.

Canal do Panamá

Como o canal é extenso (são mais de 80 quilômetros), existem vários pontos em que é possível assistir à passagem das embarcações. Escolhemos o Miraflores Locks, o mais famoso e próximo da Cidade do Panamá. A entrada para a instalação custou 20 dólares e, além de assistir ao mecanismo funcionando, também dá acesso a um pequeno museu que conta a história da via artificial e reúne objetos da obra, como ferramentas e pedras.

O canal do Panamá foi inaugurado em 1914, mas sua obra começou bem antes disso. A França tentou construir a via entre os anos de 1880 e 1889, mas falhou porque a grande maioria dos operários morreram por conta de doenças tropicais. Interessados economicamente, os Estados Unidos deram continuidade com um acordo de mão dupla: eles ajudariam o Panamá a se tornar independente da Colômbia, e em troca os EUA iriam controlar o canal. A gestão só passou a ser exclusivamente panamenha em 1999, após um período de transição de administração de 22 anos.

Desde o início, o canal representou uma facilidade tremenda para países que precisavam chegar ao Oceano Pacífico. Apesar dos custos, transitar pela via encurtava a distância e reduzia consideravelmente o tempo de viagem.

Canal do Panamá

Combinado com o canal, sugiro um passeio pelo AllBrook Mall. O Panamá possui a fama de ter preços semelhantes aos dos outlets de Orlando, nos Estados Unidos, então vale reservar um tempinho para conferir as ofertas.

O AllBrook é gigantesco: estamos falando do maior shopping do Panamá! Acho que é humanamente impossível conhecer todas as lojas em um único dia. Justamente por isso, ele é bem variado: tem lojas de marcas mais caras e famosas, mas também há multimarcas e fast fashion baratinhas. O melhor horário pra passear pelas lojas com calma é no período da manhã, porque ele fica lotado ao longo do dia.

LEIA TAMBÉM | Gastronomia no Panamá: onde comer na Cidade do Panamá

DIA 3: PANAMÁ VIEJO E MULTIPLAZA PACIFIC MALL

Começamos o terceiro dia pelo Panamá Viejo, local onde nasceu a Cidade do Panamá. Comprando o ingresso, é possível conhecer o sítio arqueológico (que preserva as construções do século 16) e um museu bem legal que conta a história do país. Aqui, já deixo uma dica: estudantes têm desconto!

Dedique o restante do dia para um passeio pelo Multiplaza Pacific Mall. O shopping é bem grande e super agradável para perambular entre as lojas. O preço é um pouco superior ao Allbrook, até porque o shopping é mais ‘chiquezinho’ e tem mais lojas de grife. Além disso, há algumas redes de restaurantes ótimos, como Tony Roma’s e Olive Garden.

Panamá Viejo

DIA 4: BATE E VOLTA PARA SAN BLAS

No quarto e último dia no Panamá, marque um passeio para San Blas. Inclusive, é super viável fazer hospedado na Cidade do Panamá mesmo, como um bate e volta.

O Arquipélago de San Blas é composto por 365 ilhas em pleno mar do Caribe, localizadas ao norte do país e que abrigam a tribo indígena Kuna Yala. As ilhas ficaram famosa nos últimos meses por conta da série La Casa de Papel – Tóquio e Rio se escondem em uma delas, lembram?

Esse passeio foi tão, mas tão divertido, que fiz um post a parte compartilhando todos os detalhes desse dia por San Blas. Clique aqui para ler – e assistir, porque temos vídeo de lá!

Arquipélago de San Blas: um paraíso no Panamá

Acompanhe mais conteúdos de viagem no Instagram: @barbara_pereira

autora da matéria Bárbara Pereira
compartilhe
comentários
comentários

Acompanhe no YouTube

Siga no Instagram @barbara_pereira

No finalzinho de 2020, decidi que iria tirar esse projeto do papel e enfim criar meu podcast de viagem. Falar sobre esse tema em plena pandemia parecia loucura - afinal, eu só acumulava viagens canceladas, não tinha perspectiva tão próxima de vacina e a situação econômica do país não era nada promissora. Ou seja, eu não conseguia enxergar nem uma semana à frente 😅
Vai ter muito conteúdo de viagem e gastronomia no LinkedIn SIM! Tô feliz demais em poder contar que agora faço parte do time de Creators do LinkedIn, com criadores de conteúdo selecionados pela plataforma - não sei fingir costume, isso é chique demais 😂
Pronta para viver e contar novas histórias. Cheguei, @cnnbrasil ❤️
Dizer adeus nunca é fácil, ainda mais quando a gente olha pra trás e enxerga uma trajetória repleta de amizades, alegrias e realizações. O Estadão foi minha casa por mais de três anos, ainda como estagiária e depois como parte da incrível equipe de redes sociais. Foi ali que entendi que o jornalismo não estava acabando, mas sim se reinventando. Vi e admirei o Drops de longe, para depois assumir esse projeto tão especial ao lado do melhor parceiro que poderia existir. Não dá pra pensar em qualquer outra palavra senão #gratiluz kkkkk por tudo o que vivi no jornal. Fui feliz demais da conta e hoje saio preenchida de amor, pronta para dar o próximo passo. Que venham novos momentos! Até logo, Estadão 💛
Um dos meus doces favoritos em São Paulo é do @delapaixbistro. A torta de suspiro é recheada com um creme de amêndoas, chocolate meio amargo e geleia de frutas vermelhas. A combinação é divina! O doce sai por R$ 19 e o restaurante fica na Rua Tupi, 844 - pertinho do Estádio do Pacaembu 😋
O Panamá é um país muito conhecido por ser uma escala aérea bem comum para quem está viajando com destino a América do Norte. Porém, a realidade é que ele pode ser muito mais que isso. O país é repleto de belezas naturais, tem praias de águas cristalinas e atrações bem interessantes que podem tornar, principalmente a Cidade do Panamá, um destino além da conexão.

Compre seu chip de internet com 30% de desconto usando o cupom BARBARA30




matérias relacionadas